O baiano João Ubaldo Osório Pimentel Ribeiro,  escritor, jornalista e roteirista, formado em direito, faleceu no último dia 18 de julho de 2014.

O NOVO LIVRO DE CRôNICAS DE JOãO UBALDO RIBEIRO

João Ubaldo era o 7º ocupante da cadeira número 34 da Academia Brasileira de Letras e foi autor diversos romances, como Sargento Getúlio, O Sorriso do Lagarto, o polêmico A Casa dos Budas Ditosos e Viva o Povo Brasileiro, sendo esse último, destacado como samba-enredo pela escola de samba Império da Tijuca, no carnaval do Rio de Janeiro de 1987.

Homenageado em diversas premiações, conquistou aquela que,  considerada pelos autores da língua portuguesa, é a maior de todas: o Prêmio Camões de 2008.

A professora, pesquisadora e pós-doutora em Letras, Zilá Bernd, concedeu uma entrevista para o Jornal Correio do Povo, abordando sobre o trabalho e a representatividade de João Ubaldo Ribeiro, um dos grandes intérpretes do Brasil e dos brasileiros, para a literatura nacional e internacional.

Foto02

Foto tirada em 2001, por ocasião da vinda do autor para a Feira do Livro de Porto Alegre.
Parque Laje de Pedra em Canela RS
Na foto: João Ubaldo e esposa, acompanhados pelos professores Zilá Bernd (UFRGS) e Francis Utéza (Université Paul Valéry, Montpellier, França).

Segue abaixo alguns trechos dessa entrevistas:

“Ele é autor de uma obra que reflete o profundo desejo de captar a alma do povo brasileiro em sua diversidade, a partir de suas raízes orais e escritas, resgatando vestígios da cultura afro-brasileira por longo tempo minimizadas pela elite letrada brasileira. Com generosa delicadeza, aprende a dar importância ao detalhe, ao que foi marginalizado e desprezado pelo sistema”, salienta. 


A longevidade da obra de João Ubaldo é destacada por Zilá: “Podemos sem sombra de dúvida afirmar que a obra de João Ubaldo Ribeiro será lida por muitos anos no Brasil e nas inúmeras línguas para as quais foi traduzida por ter tido a capacidade de criar uma escrita mestiça que, inspirando-se dos falares populares, é completamente reinventada, construindo-se no entrecruzamento do erudito, do arcaico e da retórica barroca, traduzindo e recompondo a oralidade praticada no Recôncavo, mesclando temáticas filosóficas com tópicos extraídos das religiões afro-brasileiras e imbricando conteúdos históricos com o legendário e o mitológico”.

Zilá vai mais adiante quando lembra de uma de suas principais obras: “Viva o Povo Brasileiro, a obra através da qual João Ubaldo Ribeiro será lembrado e que o credencia a ser reconhecido como um dos grandes intérpretes do Brasil e dos brasileiros, é um romance que, por sua extraordinária riqueza, pode ser lido como contra-discurso histórico, recontando a história do Brasil do ponto de vista dos escravos e oprimidos, e como sátira à falsa cultura das elites”.

A entrevista, que conta ainda com o depoimento de outra pesquisadora, um escritor e um crítico gaucho, pode ser lida na sua íntegra, visualizada no site do Jornal Correio do Povo: http://www2.correiodopovo.com.br/ArteAgenda/?Noticia=530973

Zilá Bernd é professora e orientadora convidada do PPG Letras/UFRGS e contratada pelo Centro Universitário La Salle (UNILASALLE-Canoas) para atuar no Mestrado em Memória Social e Bens Culturais.

Related Post


1 comentário sobre “Entrevista com Zilá Bernd: A representatividade de João Ubaldo Ribeiro”

Zilá Bernd · 4 de agosto de 2014 às 11:53

Muito importante relembrar o grande criador de Viva o povo brasileiro. Obrigada pela chance de participar do observatório cultural do unilasalle.

Deixe uma resposta

Posts Relacionados

Patrimônio Cultural

O que realmente importa no Patrimônio Cultural?

O que realmente importa no Patrimônio Cultural? Se você está lendo este post, é porque você se interessa por Patrimônio Cultural. Mas nem todo mundo se importa com esse tema. Aliás, a maioria das vezes Leia mais…

Patrimônio Cultural

Canoas: Interstícios de uma Ferrovia

Recentemente, os historiadores Israel Tavares Boff e Airan Aguiar, que desenvolvem pesquisas relativas a Canoas e ao contexto socioeconomico da região metropolitana no século XIX, escrutinaram vasta documentação do Poder Legislativo de Porto Alegre, encontrando Leia mais…

HQs e cultura nerd

O jovem Freud e a análise dos sonhos

Por Marcelo Franco Que as histórias em quadrinhos podem assumir um importante papel no desenvolvimento cognitivo e intelectual do indivíduo, já está comprovado. Mas, além disso, as HQs continuam se destacando no campo educacional, onde Leia mais…