https://splashpages.files.wordpress.com/2015/11/blkcover.jpg?w=840

Imagem original em: https://splashpages.files.wordpress.com/2015/11/blkcover.jpg?w=840

Desde o surgimento dos quadrinhos, o personagem negro sempre esteve presente em suas páginas, porém, seu espaço era limitado. Apareciam como coadjuvantes nos papéis de vilões ou cômicos. A partir dos movimentos pelos direitos civis, principalmente na década de 1960, isso começou a mudar. Personagens negros começaram a ganhar papéis de destaque, e muito se deve ao aparecimento do primeiro super-herói negro nas histórias em quadrinhos.

Stan Lee e Jack Kirby criaram em 1966, pela Marvel Comics, o Pantera Negra, um super-herói do continente africano, rei, e que tem força e velocidade expandida graças a uma erva sagrada passada de geração para geração aos líderes de sua nação. Esta história em quadrinhos traz pela primeira vez, uma África menos estereotipada, mostrando um país rico monetariamente e culturalmente. Muitos comentam que seu nome foi inspirado no Partido dos Panteras Negras, grupo criado também em 1966, que defendia os negros e lutava por seus direitos. Porém o personagem surgiu três meses antes do surgimento do grupo. Este personagem traz por diversas vezes questões sobre direitos iguais entre raças.

Outro personagem, também da Marvel, foi o Falcão, que por muito tempo foi companheiro do Capitão América em suas aventuras. Porém, até então estes personagens não tinham um título solo, isto aconteceria somente em 1972, com Luke Cage (sua vestimenta lembra, e muito, os Black Power, outro movimento que defendia os direitos dos negros nos EUA). Este personagem foi cobaia de um experimento médico, mas por uma sabotagem de um racista, não deu certo. Após quase morrer, ao invés de ser inume à doenças, adquiriu invulnerabilidade e força sobre-humana. Esta passagem vem mostrar um pouco da realidade da época, onde vacinas eram testadas primeiramente em negros, e somente após a experiência dar certo, era testada em brancos.

Outro super-herói negro que ganhou destaque nos quadrinhos da DC Comics foi John Stewart, o terceiro Lanterna Verde terráqueo, ele era diferente de outros lanternas (e super-heróis): não usava máscara, mostrando seu rosto e cor de pele. Na década de 1970 surgiu inúmeros personagens afros descendentes nas HQ’s, Luke Cage, John Stewart, Vulcão Negro, Raio Negro, Blade. Porém em 1975, nasce a primeira super-heroína negra dos quadrinhos, a Tempestade, que chega com grande destaque no time dos X-men. É a primeira mulher a liderar uma super equipe nas HQ’s. Mulher, negra, com nacionalidade africana, isso foi de grande valor às comunidades negras e aos movimentos de mulheres. Na década de 1980 surgiu Ciborgue, em 1990, Spawn, Aço e Supershock.

Neste artigo, não apresentei todos os super-heróis negros presentes nas HQ’s, porém o que venho mostrar é que, os quadrinhos de super-heróis sempre foram de vanguarda, trazendo questões sociais presentes no dia a dia de seus leitores. Para mim, os quadrinhos de super aventuras foram a primeira mídia a trazer à tona questões sociais problemáticas de cada época.

Related Post


0 comentário sobre “Os negros nos quadrinhos”

Deixe uma resposta

Posts Relacionados

HQs e cultura nerd

Memória e testemunho de uma revolução em HQ

Por Thuanny Bedinote   A História em Quadrinhos que iremos apresentar, Cuba: minha revolução, de Inverna Lockpez e Dean Haspel e José Villarrubia, tem valor testemunhal, contribuindo como um receptor de memória.   Podemos inferir Leia mais…

HQs e cultura nerd

As mulheres nas histórias em quadrinhos: As super-heroínas e a desigualdade entre homens e mulheres

  As HQs sempre trouxeram a discussão sobre a diferença para dentro de suas páginas. Elas foram as pioneiras em trazer tais questões para os meios de comunicação de massa. Questões sobre direitos humanos, o Leia mais…

HQs e cultura nerd

A morte e as fases do luto dentro da cultura pop

 Por Marcelo Franco Uma lenda é contada através dos tempos, modificando-se pela imaginação do povo, que aos poucos acaba por delinear novos contornos à tradição. Quando falamos do personagem fictício “Capitão América”, logo vêm à Leia mais…